Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

15M. [O Dicionário da Princesa da Casa - Vol. 1]

Dizem os entendidos que por volta dos 12 meses o bebé diz a sua primeira palavra (depende de criança para criança). E que uma vez dita a primeira palavra, o vocabulário do bebé multiplica-se extraordinariamente numa constante procura de novos sons e numa intensa experiência de junção de vocábulos. Nos primeiros dois meses o intervalo entre cada palavra nova é longo, mas depressa a descoberta de novas palavras passa a ter intervalos cada vez menores. Os livros, dizem que aos 18 meses, o bebé já fala entre 40 a 50 palavras e compreende 200! Aos 2 anos, pronuncia entre 200 a 300 e compreende perto de 2000. A partir de determinado momento o processo é tão rápido que é difícil de contabilizar! 

Mas, é claro que para os pais, as primeiras palavras são especiais, enchem-nos de orgulho. É impressionante a capacidade de aprendizagem de um bebé que ainda "ontem" nasceu e que hoje já percebe tanta coisa! 

E com 15 meses a princesa B. adora falar, já tem uma lista longa de palavras pronunciadas e outras tantas que só ela percebe, insiste em comer sozinha de tal forma que essa tarefa está cada vez mais aperfeiçoada, adora ser mimada e mimar, e cumprimenta toda a gente que passa por ela num espaço público com um sonoro "OLÁ". Continua a não gostar muito de dormir, apesar de já perceber que é um bem necessário e fica eléctrica quando está com sono!

Daqui a uns anos, quando a minha filha me perguntar quais foram as primeiras palavras que disse, vou responder-lhe para ver no blog da princesa da casa. Aqui fica o registo (para nunca me esquecer) do "Primeiro Dicionário da Princesa B.": 

Água - ou aua na pior das hipóteses;
Aí, aí, aí - repete o que os pais lhe dizem quando se porta mal :)

Anda - quando quer que a tirem do sítio onde está (seja do parque ou da cadeirinha) ou quando quer que a acompanhem num passeio;

Cocó - para a fralda, ou porque deu um pum ou porque fez cocó!

- para pedir e oferecer; 
Deita - para os papás irem dormir;
Dia - Bom dia.
Dius - Adeus. 
Dôdas - as doidas das galinhas;

Gato - porque gostas deles e porque os encontra nas escadas do prédio ou em casa dos avôs desde pequenina;

Já está - quando algo não lhe agrada dá por terminada a tarefa; 
Mamã - utilizou durante meses para chamar também o papá e os avós;
Não! - ou Nã, nã não!
Oh pá - expressão entusiasta que aprendeu com a avó Zezita;
Olá - porque é simpática e porque se mete com toda a gente que encontra;
Pão - a última das palavras pronunciadas, dita ontem dia 5, só para me deixar ainda mais orgulhosa! E nem o til a atrapalha!
Papá - para chamar o pai, mas de vez enquanto ainda lhe chama de mamã (é mais forte do que ela);
Papa - porque adora comer;
Papo - para o sapato e/ou meia;
- para a amiga chupeta;
Quem é? - a primeira expressão a verbalizar
Senta - disse-o a primeira vez para pedir para a avó Rosa se sentar;
Tou -  quando prefere falar ao telefone em vez de o desligar;
Vovô - avô/avó

Provavelmente estarei a esquecer-me de alguma, com muita pena minha, mas será incluída no próximo edição!!

18 comentários

Comentar post