Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Voltei a mascarar-me!

Eu gosto do Carnaval e sempre gostei. Houve alturas que não comemorei, mas houve outras em que me vesti a rigor e brinquei, aí se brinquei!

 

Este ano voltei a mascarar-me, ou melhor a decorar-me como se fosse uma árvore de Natal! Mascarei a Bia de princesa Elsa (a seu pedido) e vibrei com o momento, tirei-lhe fotos, enchia-a de elogios e mimos (estava linda). E mais tarde mascarei-me, com dois simples adereços, uma bandolete e umas pestanas verdes (fiquei fã). Mas, todo o acto de pensar na máscara e de nos mascaramos torna-nos mais alegres e bem dispostos. 

Screenshot_20170227-001139_1.jpg

Nesta época de Carnaval grande parte de nós, adultos, voltamos a ser crianças, vestimos ou tiramos a máscara, soltamos sorrisos e espalhamos alegria, brincamos e pregamos partidas.

Então, acho que o Carnaval deveria ser como o Natal, todo o ano. Não podemos abandonar a "nossa" criança, deveríamos todos ser criança um pouco todos os dias. Levar a vida com mais calma, encarar os problemas sem stress ou irritação, e viver o dia a dia com boa disposição!

 

Bom Carnaval!

A vida são dois dias e o Carnaval três!

Vanya e Sonia e Masha e Spike

Na quinta-feira fui ao teatro (aí que serão tão bom)! [adoro teatro]
 
Fui ver a peça Vanya e Sonia e Masha e Spike, no teatro Armando Cortez, com actores que dispensam apresentações.
E com muitas gargalhadas! 

teatro.jpg

Três irmãos, três histórias de vida, ou não. Sonia, a refilona que não viveu, Masha a actriz para quem a vida acabou e Vanya que rejeita a mudança e que esconde muitas surpresas. 

Na verdade, esta comédia não é mais que o retrato de muitos de nós, que nos queixamos do presente, mas não agimos, ou que tememos o futuro, a mudança, e não aceitamos o presente, não vivemos!
É sem dúvida importante começarmos a dar mais valor ao que temos hoje e aproveitar o momento!
 
E quanto ao Spike... Aí o Spike.. É tão sexy o Spike! É tão giro o Spike, mas... 
Querem conheço-o melhor? 
Então têm que ir ver a peça!!!  
 
Bom teatro!

 

A nossa forma de encarar o dia faz toda a diferença!

Tudo corre melhor quando pensamos positivo, essa é a verdade!

 

Existem dias complicados, daqueles que já começam difíceis ao despertar, continuam ao entardecer e só acabam ao anoitecer! Toda a gente os tem!

E existem pessoas complicadas, que cruzam o nosso dia já difícil, pessoas que vêm tudo pelo lado negativo, e que nos deixam exaustas. Mas, tudo corre melhor quando damos a volta à questão e fazemos de um problema uma solução. Por tendência fazemos sempre de um problema, um problema ainda maior. Mas, a forma como encaramos tudo na vida faz com que ela valha a pena ou não.  

E este é um exercício diário, encarar o dia pelo lado positivo, quer esteja a chover ou a fazer sol, quer comece complicado ou alegre, quer nos cruzemos com essas pessoas difíceis que nos tentam complicar ainda mais o dia, quer surjam problemas ou não, a nossa forma de estar e de encarar o mundo faz a diferença, na nossa vida e até na vida dos outros!

 

Por isso, vamos tentar ser todos mais positivos!

Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa

O quê é o Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa?

É um espaço pouco provável, mas real. Diferente, giro e a visitar, na Praça D.Pedro IV em Lisboa. É a prova de que o homem sonha e concretiza.

P_20170212_164024_1.jpg

Imaginem um lugar com milhares de latas de sardinha, numeradas de 1916 a 2017, em que cada ano é marcado com a descrição de um acontecimento e a indicação do nascimento de duas personalidades que fizeram história.

P_20170212_163940_1.jpg

É claro que não resisti a trazer no mínimo duas latas, a de 2013 (ano em que nasceu a mais bela das sardinhas, a princesa da casa) e a de 1982, esse grande ano em que estreou o filme ET de Steven Sprielberg:

P_20170212_195459 (1).jpg

Cada lata custa 5€, e além do exterior apelativo, dentro de cada uma estão sardinhas portuguesas em azeite da Fábrica de Conservas da Murtosa, Comur!

Uma homenagem à bela da sardinha portuguesa que conquista turistas e não só!

Pág. 1/3