Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Estátua!

 

 

Pinto a cara de branco como se de um quadro se tratasse. Maquilho-me ao pormenor por forma a reencarnar a minha personagem. Sorrio olhando-me ao espelho e exclamo: - Que olhos perfeitos! De oriental não passo!
Hoje sou gueixa, ontem fui múmia! Há três dias fui rei, amanhã serei palhaço.
Depois de amanhã o que serei? Não sei...
E é assim que todos os dias me transformo no que não sou!
Ora ponho um sorriso alegre, ora um olhar triste! Ora fico irritado, ora cabisbaixo!
Tantas expressões, dezenas de sentimentos, diversos estados que reconheço nos outros mas que não são verdadeiramente meus. Sou um ser que interpreta milhares de eus. 


***


Parado na rua Augusta, agora sou uma estátua. Protejo-me do sol com uma sombrinha vermelha. O vestido diferente e colorido desperta a atenção de alguns transeuntes. Aguardo uma moeda no cesto de vime ainda vazio.
Algumas pessoas olham-me com curiosidade, outros apressados, de fatos caros, bem cortados e pastas de couro na mão, tropeçam em mim com vista e olham-me com desdém.
De súbito, uma rapariga tagarela destaca-se de um grupo de amigos, sorri-me e atira uma moeda para o cesto - a estátua moveu-se por segundos num gesto premeditado - fechei a sombrinha, fiz-lhe uma vénia e voltei a abrir a sombrinha.
O grupo de amigos aproximou-se. Olhares de admiração e sorrisos espontâneos cruzaram-se na rua. Choveram moedas e multiplicaram-se os gestos da estátua movediça.
As crianças sorriam. Os turistas fotografam-me. Os fatos caros, bem cortados e apressados param por segundos.


***


Limpo a cara. Sento-me numa cadeira junto a mesa de jantar vazia e conto as moedas do cesto. Sinto a barriga a roncar, mas ignoro-a, sorrio e exclamo: - Vou comprar um traje novo! Depois de amanhã já sei o que serei!

 

[Ficção - Life Moments]

 

* Fotografia by Alexandre Cibrão - www.acibrao.com