Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Queres ser feliz?

Segundo os entendidos (os psicólogos) existem vários hábitos que nos podem ajudar a ir de encontro à felicidade. E pelo sim, pelo não, nada melhor do que os pôr alguns (ou todos se possível) em prática: 

  • Ser paciente, otimista e realista [é tudo o que eu tento ser, mesmo quando não é fácil]
  • Definir objectivos e metas para a vida 
  • Sorrir [para mim um sorriso abre portas]
  • Perdoar [nem vale a pena guardar mágoa, só nos faz mal a nós próprios]
  • Beber café [mas sem exagerar, adoro - aquela pausa necessária]
  • Trabalhar a sua aptidão favorita [escrever, por exemplo ]
  • Fazer exercício [verdade, expulsa os sentimentos maus e faz tão bem]
  • Caminhar ao ar livre [no meu caso, se possível à beira mar]
  • Comer na praia [para mim, tudo na praia]
  • Estar com os amigos [verdade,verdade, verdade]
  • Ser voluntário e ajudar os outros [sempre que possível]
  • Ouvir música triste [estranho não, tem exactamente o resultado inverso]
  • Participar em actividades culturais [adoro, cinema, teatro, viajar - convidem, convidem]
  • Experimentar algo novo e diferente [para-quedas... socorro] 
  • Ler uma história de aventura [para mim ler já me faz feliz, seja qual for o tema]
  • Meditar [sem dúvida, tirar 5 minutos para relaxar e encontrar a paz interior]
  • Escrever os sentimentos numa folha de papel [dizem que pode ajudar a resolver problemas e a aliviar o stress, concordo, é um espécie de diário]
  • Escrever três coisas que nos fazem sentir bem, de forma a que os desejos se tornem reais! [nada como ser paciente e otimista!]

Sejam felizes!

 

 

Já ouviram falar da Risoterapia?

Na semana passada fui a uma aula experimental de "Risoterapia" (ou Yoga do Riso) no CMS, em Telheiras. Já ouviram falar da Risoterapia? 
Parece que está muito em voga. Actividades para rir em grupo! Mas, confesso que inicialmente me senti louca, e no meio de loucas, rir sem motivo aparente, que sensação estranha... 
No entanto, há medida que me fui ambientando o riso deixou de ser forçado e passou a ser solto, até porque rir é contagiante. E há gargalhadas que só por si fazem vontade de rir desalmadamente. No final acabei por chorar a rir! 
Foi uma experiência gira, não pretendo fazer disso um hobby ou uma ocupação permanente, mas um dia volto! É que mesmo horas depois de ter terminado o workshop, eu e mais duas amigas que também estiveram presentes, prolongamos as gargalhadas noite a dentro. 
 
Rir é tão bom, e faz tão bem! 
 

"Quando rimos fortalecemos o coração, dilatamos os vasos sanguíneos, melhoramos a respiração, aliviamos a digestão, activamos mais de 400 músculos do nosso corpo e fortalecemos os laços afectivos, libertamos serotonina (anti-depressivo natural), libertamos endorfinas (hormonas que aliviam a dor e provocam uma agradável sensação de bem-estar), libertamos dopamina que ajuda a elevar o estado de ânimo, libertamos também adrenalina o que ajuda a estarmos mais despertos e receptivos, proporcionando-nos maior criatividade.

Por outro lado rir com frequência fortalece o sistema imunológico e como rebaixa o nível de cortisol combatemos melhor o stress e as insónias. Melhora a função pulmonar em pacientes asmáticos e combate problemas cardiovasculares, entre outros benefícios."

Qual o tamanho do teu problema?

Li algures uma solução para as birras que tento aplicar aqui por casa com a princesa, mas confesso que nem sempre resulta ou resulta apenas quando as birras ainda são muito iniciais. 

Assim que surge algum motivo para uma birra utilizo a regra do tamanho dos problemas:

Isso é um problema pequeno, um problema médio ou um problema grande?

Problemas pequenos são fáceis de resolver e na sua maioria os problemas são todos pequenos. Então, juntas tentamos encontrar uma solução. 

Inicialmente, pensei que não iria resultar, que a princesa faria ouvidos moucos, mas há uns dias, ela própria me perguntou: "mãe, isto é um problema pequeno, não é?"

Nada como tentar! 

 

Uma solução para birras de miúdos e até de graúdos!