Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Neste dia da mulher deixo-vos 5 atitudes que fazem toda a diferença para uma vida mais feliz.

A felicidade está na forma como encaramos a vida e é um exercício diário. Há quem acredite que é feliz, mas tem momentos infelizes. Há quem acredite que é infeliz, com momentos felizes.

 

A primeira opção é o pensamento correcto para alcançar a felicidade. Até porque muitas vezes estamos tão obcecados a pensar no ter para ser, no que não temos e queremos ter, no futuro, que não damos valor ao que temos no presente. E é no presente que temos que ser felizes [e voltámos à questão do exercício diário].  

 

1530505_232800893587762_4767635037342304131_n.jpg

 

As cinco atitudes que nos podem ajudar a ter uma vida mais leve e feliz:

 

 

 

Sobre a tarte de chocolate com caramelo salgado...

Não há muito a dizer, apenas que é deliciosa e que a podemos encontrar nas mais de 50 Padarias Portuguesas espalhadas por Lisboa. E podemos comprar o bolo ou apenas uma fatia.

 

Ah lembrei-me, tem um senão, o seu consumo é impróprio durante a fase das dietas pré-verão. Ups...

IMG_20170305_230200.jpg

 

Mais sugestões igualmente deliciosas:

O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo

Landeau Chocolate

As descobertas da princesa da casa #14 Apanhada pela minha filha!

Os filhos crescem demasiado depressa, não é só um cliché, é a mais pura da realidade. Raios, e nós também crescemos, ruga aqui, quilo a mais ali. Mas, recalcamentos à parte, dou por tal crescimento quando sou apanhada com respostas rápidas e sabiamente inteligentes da minha filha de três anos. Uau, ela disse isto, e ainda usa fraldas à noite! 

 

«Filha este ano temos que marcar oftalmologista.* Mas tu não tens falta de vista, pois não?» - questiono meio a divagar ao que ela responde prontamente: «Só quando estou a dormir porque tenho os olhos fechados!»

 

Ela contava-me a cerca de uma mosca que apanharam na escola (na linguagem dela "moca") e eu tentei entrar no mundo da imaginação das crianças e perguntei «Falaram com ela?», ao que ela responde: «Mãe não, as "mocas" não falam!»

 

Ora, imagino daqui a mais dois anos quando ela estiver na primária?! Constato claramente que os 3 anos dela não foram os mesmos que os meus! 

 

*Nota importante -  é recomendado fazer uma consulta de oftalmologia entre os três e quatro anos para detecção precoce de problemas de visão e ainda de estomatologia para ver se está tudo bem com os dentinhos de leite.

 

 

A primeira ida ao cinema!

Qual a idade ideal para levar uma criança pela primeira vez ao cinema?

 

O esperado aconteceu, ontem a princesa da casa foi ao cinema, com três anos e meio. O primeiro filme que a princesa Bia viu, quer por inteiro, quer no cinema foi - Ozzy Rápido e Peludo - e correu bem.

 

Cinema-Fevereiro-4-Ozzy.jpg

 

Não, não tivemos que deixar o filme a meio, apesar de estarmos preparados para isso acontecer. Não, a Bia não falou como uma gralha durante o filme todo, nem se assustou com a escuridão da sala ou com o som excessivamente alto.

Sim, a Bia levantou-se várias vezes do lugar, trocou de cadeira, de colo e devorou pipocas!

 

 

E voltando à pergunta inicial, qual a idade ideal para levar uma criança pela primeira vez ao cinema?

 

Alguns especialistas acreditam que a idade ideal é os 5 anos, porque a criança tem uma maior capacidade de concentração e distingue mais facilmente a realidade da fantasia.

No entanto, e como quase tudo no mundo infantil, também depende muito da criança e é claro, muito importante, do filme escolhido!

No caso particular da princesa da casa, ela própria já tinha pedido por diversas vezes para ir ao cinema. Já tinha assistido a algumas peças de teatro e estava curiosa para assistir a um filme numa tela grande. É claro que, muito antes disso, lhe expliquei o que era o cinema, como era o espaço e o que poderia encontrar por lá.