Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

O assador de castanhas...

310370_180824842011240_100002511751715_352207_1843

Este cheiro outonal de castanhas assadas, esta vontade de acordar todos os dias para ir trabalhar, mantêm-me vivo. Embora não pareça, sou um privilegiado. Embora de semblante carregado, sou feliz. De todos os trabalhos que o homem possa desempenhar, este pode até ser o menos vital, mas eu sei que se não estivesse por aqui nestes dias, muitos sentiriam a minha ausência e falta delas.  É fascinante ver o sorriso de uma criança quando os pais lhe compram castanhas. É maravilhoso observar os casais de namorados, grudados, a partilharem palavras de amor e castanhas. É reconfortante perceber que aquele homem engravatado, de fato bem engomado, e com um dia atarefado, perde uns minutos a saborear castanhas. Estão a ver como é fácil tornar alguém feliz? É por isso que me sinto um privilegiado, embora carregando em mim os problemas habituais de qualquer ser humano.

Treinando a escrita [15]

* Fotografia by Alexandre Cibrão - www.acibrao.com

Não é apenas o Dia de Portugal...

É o dia de todos nós, portugueses! 

E é neste cantinho plantado à beira-mar, solarengo, com um passado histórico glorioso, com paisagens maravilhosas, monumentos grandiosos, gente humilde e trabalhadora, que se comemora hoje o dia de Portugal. É certo que o presente de hoje não é aquele que mais desejávamos estar a viver, mas também é certo que de alguma forma, por mais mínima que seja, todos nós contribuímos para o viver. Agora, resta-nos seguir o exemplo dos nossos antepassados e "Pela Pátria lutar! Contra os canhões marchar, marchar!".

Um país de contradições [Ditadura ou Liberdade]?

Portugal é realmente um país de contradições. Juro que não nos percebo, por mais que tente nos avaliar à luz do passado e do presente, não percebo. Afinal, de acordo com um estudo efectuado recentemente, os portugueses consideram o 25 de Abril a data mais importante da nossa história. Ufa, até aí concordo e sempre concordei, só não percebo é porque é que o Sr. António de Oliveira Salazar foi eleito o maior português de sempre num programa da RTP em 2007? Num país onde se elege a liberdade, elege-se um ditador? Haja consenso, pela liberdade! 

Imagem de http://fadadacaixinhademusica.blogspot.pt

 

Acompanha a "A Princesa da Casa" no Facebook