Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Como lidar com o NÃO?

Aqui por casa chegámos à fase do NÃO, daqueles bem redondinhos, usados (e abusados) para quase tudo, seja para responder a uma pergunta, contradizer uma afirmação, negar uma ordem, ou simplesmente porque lhe apetece!

 

«B. queres mais papa?», «Não quero»

«B. queres ir passear?», «Não!», «Então queres ficar em casa?», «Não»

«B. vamos dormir?», «Não quero!» (agora é que estraguei tudo, de notar que este Não é bem mais sonoro e acentuado que os outros, digamos que é um Não refilão)

Pior, é quando a B. acorda já a dizer «Não quero, não quero» em vez de corriqueiro «Bom dia» [Oh filha, eu até te compreendo, também eu queria ficar mais um pouco na cama, deixem-me dormir!!!]. 

 

Mas e agora?

Como devo lidar com o não da criança?

O que devo fazer?

 

1. Primeira regra, não desesperar!

2. Segunda, usar o não com moderação, até porque nesta idade a criança tende a imitar o adulto. Usar palavras alternativas como "Nunca se bate no gato", "Vem brincar para a sala", "Deixa estar isso aí, olha este livro tão giro", "Baixa a voz, aqui temos que fazer pouco barulho."

3. Terceira regra, ensinar outras respostas. A criança pode só conhecer o não como resposta, cabe aos pais ensinar-lhe alternativas através de brincadeiras. "Qual é o contrário de não?", "O que vem entre o não e o sim?" (talvez), "Qual a forma mais simpática de dizer não?" (não, obrigada). 

4. Quarta regra, ser firme quando necessário e explicar o porquê "Dá-me isso, podes magoar-te, não chores, sinto muito, mas eu sou tua mãe e o meu trabalho é cuidar de ti."

 

Vou tentar pôr em prática e depois logo vos digo se consegui, é que sua majestade a princesa B. já pensa que é a rainha da casa. 

 

23 comentários

Comentar post

Pág. 1/2