Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Dia da Mãe | 2015

Há uns anos atrás a palavra «mãe» parecia-me algo tão forte e assustador, isto porque na minha perspectiva nunca estaria preparada para ser mãe, e na verdade ninguém o está, até o ser!

  

Há de facto na vida de uma mulher (que queira ser mãe), dois períodos temporais: Antes de Ser Mãe (a.M) e Depois de Ser Mãe (d.M.). O primeiro período (a.M.) parece-me estar a 1000 anos luz - já era! Relativamente ao segundo (d.M.), a minha breve experiência assim o diz: : 

*  a mãe vive em plena liberdade condicional, pode deixar a criança com os avós, fazer uma saída romântica, ir ao cinema, ou almoçar com as amigas, mas está em permanente estado de alerta e quando o telefone toca o primeiro pensamento vai para a cria «Será que aconteceu alguma coisa?»

* os programas a dois são raros e são devidamente agendados, adiados e remarcados! 

* os programas em família passam a ser  passeios à beira mar, passeios nos parques infantis, idas ao teatro, quintas pedagógicas e festas de aniversários. Mãe que é mãe conhece todos os parques das redondezas! 

*  mãe é sinónimo de dona de casa desesperada! Casa arrumada é para esquecer, existem brinquedos por todos os cantos e o todo cuidado com os objectos que possam encontrar na máquina de lavar roupa, é pouco!

* as paredes, os móveis e as portas passam a ter marcar próprias - chamem-lhe primeiros desenhos, riscos ou rabiscos. Para quê papel de parede?

* há um eterno conflito entre gerações, nós mães tempos razão, mas eles acham que também têm! E a batalha é vencida pelo mais barulhento!

* dormir até tarde ao fim-de-semana é um acontecimento memorável, motivo de celebração!

*  a mãe passa a comer doces às escondidas, repete vezes sem conta "não comas isso porque faz mal", mas (para proteger o filho, claro), acaba por ser ela a comer o que supostamente fazia mal! 

* e para praticar exercício, nada como sair com a cria à rua, acabamos por andar a correr atrás dela!

 

O amor entre uma mãe e um filho é um amor incondicional, da qual faz parte um turbilhão de sentimentos, alegria, felicidade, orgulho, ansiedade e medo. Não há nada melhor na vida do que os abraços e os beijinhos, os sorrisos e as brincadeiras de um filho. As máquinas fotográficas e os telemóveis não são suficientes para registar esses momentos. Não há a menor dúvida de que ser mãe é a maior e mais bela experiência na vida de uma mulher. E ninguém disse que iria ser fácil!

Feliz dia da Mãe!

 

Dia da Mãe | 2014

 

 

14 comentários

Comentar post