Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Maternidade [15]: A princesa B. e a crise

Parece que a B. está solidária com a crise. Andava a dormir tão bem à noite, mas nos últimos dias o caso complicou-se, acorda a chorar. Um choro cortante e angustiante. Depois de despistarmos todas as hipóteses que poderiam originar tal choro (fralda suja, calor, frio, dor, febre), rendemo-nos aos factos, a princesa B. entrou na crise da "separação ou angústia".

E o que é isto da crise? Andei a pesquisar sobre o assunto, segundo alguns entendidos, o bebé passa por 4 crises durante o primeiro ano de vida. Resumindo:

1) Período Simbiótico

Começa aos 3   meses. A partir deste   trimestre o bebé começa a perceber que a mãe não está ligada a ele. O bebé   percebe que precisa de chama-la para ter o que necessita e fica ansioso. O bebé fica   agitado, começa a dormir mal e por vezes deixa de querer mamar. Pode durar até quinze dias. Os pais devem   dominar a ansiedade e compreender que é uma fase pela qual o bebé precisa de   passar para crescer.

2) Formação do   triângulo familiar 

Ocorre entre os 5 e os 6   meses. Nesta fase o   bebé começa a reconhecer a figura do pai, até ao momento a mãe era a figura   mais importante da sua vida. O início da formação do triângulo familiar -   mãe/filho/pai - dá origem a mais uma crise. O bebé começa a   dormir mal, fica impaciente e o apetite diminui. Também é nesta fase que os   dentes podem começar a romper contribuindo para aumentar a agitação do bebé. Mais uma vez, o   conselho para os pais é o mesmo - muito amor e tranquilidade, pois a   ansiedade gera ainda mais ansiedade!

3) Separação ou   angústia 

Ocorre entre os 6 e 8 meses. O   bebé fica angustiado com a ausência da mãe, pensa que ela já não volta, começa a estranhar as pessoas que vê com menos frequência   e quer estar sempre ao colo da mãe! Nesta   fase o transtorno do sono é mais acentuado, durante a noite o bebé acorda   várias vezes a chorar - na cabeça dele quando a mãe apaga a luz e saí do   quarto, ele pensa que ela nunca mais volta! Esta crise pode durar entre três a quatro   semanas. Neste   período é necessário que o bebé encontre um objecto de transição que o acalme   e que esteja sempre com ele. Pode ser a chupeta ou um boneco. 

4) Dependência vs   independência

Começa quando a criança começa a andar. O bebé quer caminhar, ser independente, descobrir o mundo ao seu redor, mas   por outro lado precisa muito de colo e carinho. É esta ambiguidade que o   torna ansioso e agitado. O bebé agitado durante o dia, acorda várias vezes durante a noite e   começa a comer pior. Mais   uma vez, é preciso muito amor, muita compreensão e um ambiente seguro.

A boa notícia é que a princesa B. já vai a meio das crises , só falta uma. Mas, até quando? Não se esqueçam que ainda temos a famosa crise da adolescência e a crise da meia idade, etc.... Pois é, parece que as crises nos acompanham durante toda a vida.

A má notícia é que esta crise pode durar mais três semanas! Socorro! Resta-me aceitar esta fase e continuar a dar muito amor e apoio à B.. Afinal, tirando o transtorno no sono, ela continua a ser um bebé sorridente e encantador.

 

E como foi com os vossos filhos?

 

"A Princesa da Casa" também está no Facebook

 

7 comentários

Comentar post