Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Qual a idade certa para furar as orelhas?

E já faz hoje quinze dias que a princesa da casa pediu para furar as orelhas, e com toda a sua coragem e determinação [e doses de vaidade] furou! 

Se doeu? Sim. "Mãe, tu disseste que era só uma picadinha, mas doeu muito..."

Furou na Claire's. Muito atenciosas, as meninas da loja explicaram tudo, e foram extremamente cuidadosas com o alinhamento dos furos. Um, dois, três... as duas orelhas furadas ao mesmo tempo. A princesa, sem soltar um gemido, depois dos furos abraçou-se a mim e soltou algumas lágrimas. É claro que quando se viu ao espelho, esboçou um sorriso tímido. E minutos depois já estava a ver a enorme variedade de brincos expostos na loja. Mas, como é óbvio esses não são para já, são aconselhados os anti-alérgicos durante um ano, eu diria durante o máximo de tempo possível. 

 

Mas, tal como todas as mães de meninas, eu também fiz a pergunta - qual a idade certa para furar as orelhas? 

Não existe um consenso nem uma opinião médica generalizada sobre o assunto. É uma decisão muito pessoal dos pais. No nosso caso, achámos que deveria ser ela a pedir, a querer furar e foi exactamente o que sucedeu!

Qual o tamanho do teu problema?

Li algures uma solução para as birras que tento aplicar aqui por casa com a princesa, mas confesso que nem sempre resulta ou resulta apenas quando as birras ainda são muito iniciais. 

Assim que surge algum motivo para uma birra utilizo a regra do tamanho dos problemas:

Isso é um problema pequeno, um problema médio ou um problema grande?

Problemas pequenos são fáceis de resolver e na sua maioria os problemas são todos pequenos. Então, juntas tentamos encontrar uma solução. 

Inicialmente, pensei que não iria resultar, que a princesa faria ouvidos moucos, mas há uns dias, ela própria me perguntou: "mãe, isto é um problema pequeno, não é?"

Nada como tentar! 

 

Uma solução para birras de miúdos e até de graúdos! 

Criança feliz, mãe (exausta e) feliz!

Ser mãe é estar sempre à procura de novas actividades para os filhos durante o fim-de-semana, seja uma ida ao parque, à praia, ao cinema, ao teatro, ao museu ou seja uma actividade diferente, como a de hoje no Parque dos Poetas, a Festa da Água com brincadeiras para os mais pequenos. 

Ser mãe é entrar neste mundo de animação e de muitas actividades,e ficar largos minutos nas filas para a filha fazer uma pintura facial (de borboleta), ou para receber um balão em forma de cão. 

Ser mãe é ser puxada pela mão constantemente, "mamã anda ver isto", "mamã quero aquilo", "mamã olha o burro", "mamã quero pintar a cara". 

Ser mãe é chegar exausta ao fim do dia, mas com uma sensação única de alegria e felicidade, porque as crianças felizes tornam os pais felizes, e porque com eles vivemos uma segunda infância! 

Obrigada à iniciativa! 

P_20171008_121920_LL.jpg