Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Sobre o concerto para bebés no Oceanário

Ontem, dia 13, quando toda a gente em Lisboa estava ainda a dormitar por causa dos festejos na véspera de Santo António, nós acordamos cedo e fomos assistir ao concerto para bebés no Oceanário. Marquei com muita antecedência, até porque este espectáculo está sempre cheio, e confesso que valeu bem a pena esperar!

Apesar de algum stress e daquela expectativa de tentar chegar a horas, isto porque a ida com uma criança a qualquer lado, requer alguma logística e muita paciência, chegamos às 8:50, e fomos muito bem recebidos. Entretanto a B. que adormeceu no carro, acordou assim que entrou no oceanário, abriu os olhos extremamente curiosa!

O concerto foi muito giro, tanto para os mais pequenos como para os mais graúdos, os papás! Um momento de calma, tranquilidade e muita animação, tendo como cenário o aquário central e onde as crianças puderam dançar e tocar pequenos instrumentos participando também elas no espectáculo. 

Depois do concerto, fomos visitar o oceanário, também incluído no bilhete, a princesa da casa, que se comportou muito bem durante todo o concerto, aproveitou a visita para correr pelos corredores, admirar os peixinhos, e ficou fascinada com o gelo no local frio onde vivem os pinguins.  

Sem dúvida, um programa fantástico para fazer em família! Da nossa parte, nunca é demais visitar este grande aquário, ainda mais sendo a primeira visita (e o primeiro concerto), da princesa B., que adorou!

 

concerto para bebés oceanário.JPG

oceanário.JPG

 

Informações sobre o concerto:

Reservar com antecedência!

Chegar antes da hora! 

Pagar 25€, para o bebé e dois acompanhantes!

Não deixar de ir!

Mais informações no site do Oceanário!

 

Nota: Texto de opinião sem qualquer publicidade!

A importância de relembrar a velha frase "não fales com estranhos"

 

Neste video Joey Salads alerta para o quanto é fácil raptar uma criança. Num parque infantil, com um cão, Joey perguntou aos pais qual a frequência com que recomendavam às crianças não falar com estranhos, todos responderam que o faziam frequentemente e que se fosse falar com elas, as crianças não o fariam. No entanto, a experiência mostrou o inverso, Joey foi ter com a crianças, primeiro deixou-as brincar com o cão, depois disse-lhes que tinha mais cachorrinhos para lhes mostrar e todas o acompanharam. 

Partilhem! É importante relembrar! 

as Crianças

E hoje não vos traga apenas uma frase com significado, trago-vos um conjunto delas: 
"Se as crianças vivem com criticas, aprendem a condenar.
Se as crianças vivem com hostilidade, aprendem a ser agressivas.
Se as crianças vivem com medo, aprendem a ser apreensivas.
Se as crianças vivem com pena, aprendem a sentir pena de si próprias. 
Se as crianças vivem com o ridículo, aprendem a ser tímidas.
Se as crianças vivem com inveja, aprendem a ser invejosas.
Se as crianças vivem com vergonha, aprendem a sentir-se culpadas.
Se as crianças vivem com encorajamento, aprendem a ser confiantes.
Se as crianças vivem com tolerância, aprendem a ser pacientes.
Se as crianças vivem com elogios, aprendem a apreciar.
Se as crianças vivem com aceitação, aprendem a amar.
Se as crianças vivem com aprovação, aprendem a gostar de si próprias.
Se as crianças vivem com reconhecimento, aprendem que é bom ter objectivos.
Se as crianças vivem com partilha, aprendem a ser generosas.
Se as crianças vivem com honestidade, aprendem a ser verdadeiras.
Se as crianças vivem com justiça, aprendem a ser justas.
Se as crianças vivem com amabilidade e consideração, aprendem o que é o respeito.
Se as crianças vivem com segurança, aprendem a confiar em si próprias e naqueles que os rodeiam.
Se as crianças vivem com amizade, aprendem que o mundo é um lugar bom para se viver."
(As crianças aprendem o que vivem, Ed. Bizância)

E estas palavras são especialmente dedicadas às futuras e pré-mamãs - nós que temos todo o interesse em beber informação sobre a melhor forma de educar e criar um filho! 

Citação da semana [30]

Casa segura? [mais ou menos]

Nos primeiros dias de agosto contei-vos que a princesa da casa deu os primeiros passos, pois é, os tempos de paz acabaram-se, agora a princesa B. aventura-se e deambula pela casa toda sem medo (até porque medo é coisa de cotas - aí que ela caí e magoa-se). A B. anda que se farta, ou melhor, não se farta... Persegue-nos, foge-nos, explora áreas, inspecciona todos os cantos, tenta abrir as portas dos armários, as gavetas, bate nas portas que estão fechadas (quem é?), pára para observar algum movimento mais estranho (do tipo, a máquina de lavar) e o mais impressionante é que não se cansa, só o sono a faz balançar, mas luta até ao fim! 

Posto isto, este fim de semana pusemos mãos à obra e começámos a proteger tudo o que poderá ser um possível perigo para a bebé. A nossa casa parece realmente um lugar seguro, mas para um bebé nunca o é. A qualquer momento, um objecto pequeno fora do sítio pode ser engolido, uma peça perigosa pode ser alcançada, um armário mal posicionado pode ser escalado. 

Existem no mercado alguns dispositivos fundamentais para proteger a nossa casa, alguns protegem realmente, outros são facilmente descolados pelos bebés mais engenhocas [como é o caso de alguns protectores de esquina]. Cuidado, vale apena reforçar a fita adesiva!

Nós fomos até ao IKEA e viemos de lá com um ar de super pais! 

Por mais protecções a cozinha será sempre um lugar muito inseguro, o ideal é mesmo nunca deixar a criança sozinha por estes lados. Aqui pusemos bloqueadores nas portas do frigorifico, na máquina de lavar loiça, fechos de segurança nas gavetas e um travão na porta. Mas, há muitas outras coisas a ter em atenção como não deixar facas e outros objectos cortantes nas bancadas ao alcance da criança e arrumar os detergentes num armário alto. No WC os cremes para o corpo, os desodorantes, os produtos de higiene, as tesouras, as escovas e giletes devem estar num lugar inacessível. 

Em qualquer uma das divisões as tomadas devem ter protectores, as plantas devem ser afastadas (as minhas foram recambiadas), os cantos dos móveis e das mesas protegidos e os objectos de decoração arrumados em lugares altos. Enfim, todo o cuidado é pouco e a prevenção é sempre o melhor remédio! 

Se tiverem mais dicas, por favor partilhem!

Maternidade [23]