Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Sex | 30.05.14

a Meio Termo

"Para se ser feliz até um certo ponto é preciso ter-se sofrido até esse mesmo ponto."

Edgar Allan Poe

Há dias um amigo apelidou-me de Edgar Allan Poe por considerar a minha escrita demasiado triste, diz ele que ao ler um dos meus textos numa sexta-feira à noite começou mal o fim-de-semana, triste... A vida não são só alegrias, infelizmente a tristeza também faz parte dos nossos dias, mas o importante é saber lidar com ela e encontrar uma maneira de a derrubar. Longe das dificuldades e do sofrimento de Edgar Allan Poe, talvez e tal como ele, encontre na escrita um escape e uma fuga ao momentos menos bons da vida. Mas, no que toca à opinião do meu amigo, considero uma critica construtiva, até porque não quero apenas escrever sobre a infelicidade, apesar de ser essa a minha tendência como escritora "amadora". Quero tentar escrever textos mais alegres, que transmitam mensagens felizes e dar uma outra perspectiva à vida... Até porque de "infelicidade" já estamos nós fartos! **Tentar **

Citação da semana [23]

Qua | 28.05.14

O curso de preparação para o parto

É com nostalgia que recordo os momentos vividos no Clube Barrigas XXL – aqui frequentámos o curso de preparação para o parto (pré e pós). Acho que quando uma mulher engravida pela primeira vez, seja ela insegura ou dona da verdade, é atormentada por milhares de dúvidas e mais dúvidas sobre os mais variados temas, tais como o que comer durante a gravidez, os riscos que corre de acordo com a idade, a preparação da mala da maternidade, os sinais de início de parto, a amamentação, e outras tantas questões práticas para as quais não nascemos ensinadas. E às dúvidas da mãe juntam-se as dúvidas do pai. Por isso, desde o início da gravidez planeámos fazer um curso de preparação. E depois de muito procurar, encontrámos um curso à nossa medida, é mais que um espaço com um mentor, com x aulas e horários para cumprir, o Clube Barrigas XXL é um lugar onde nos sentimos em família e quando iniciamos só saímos de lá com a certeza que já estamos preparados para viver esse grande dia, o parto, e para receber o nosso filho. A enfermeira Cristina Flores, é uma mulher, mãe e profissional excelente, sempre pronta a ajudar, a esclarecer e a fazer-nos sentir em casa. Além das aulas teóricas, temos as aulas práticas, o contacto com os bebés XXL, a primeira muda de fraldas do papá, o banho, as cólicas, etc. E, entretanto vamos também fazendo os exercícios respiratórios que nos preparam para o grande momento. É um lugar de partilha e interacção entre uma enfermeira que ama verdadeiramente o que faz e os outros casais, que tal como nós, vivem experiências e sentimentos semelhantes.

A enfermeira Cristina tem um colo XXL, um colo do tamanho do mundo! **Saudades**

*E vocês frequentaram algum curso? * Como correu?* 

 Maternidade [20]

Sex | 23.05.14

a Vida

"A vida, que parece uma linha recta, não o é. Construímos a nossa vida só nuns cinco por cento, o resto é feito pelos outros, porque vivemos com os outros e às vezes contra os outros. Mas essa pequena percentagem, esses cinco por cento, é o resultado da sinceridade consigo mesmo."

José Saramago

Citação da semana [22]

Qui | 22.05.14

Há quem precise mais que nós...

Se pudesse trocaria de vida, seria tão mais fácil ser um pombo. De certo, não perderia tempo com divagações, muito menos com lamentações. Olho-te com inveja pobre pombo, tu que vives apenas por viver, sem pensar nos porquês, ficas contente com as migalhas de pão que encontras no caminho, não te lamentas se está a chover ou está frio, não queres mais para além do que tens, nem te desiludes com os outros porque confias no teu bando. Já eu, este homem desmazelado, que em tempos foi casado, e tinha uma profissão distinta no ramo bancário, está em constante perturbação, a perguntar-se consecutivamente - porquê eu?

A mulher a quem jurei fidelidade, e cumpri - perdi-a - porque ela não cumpriu. “Já não te amo. Conheci outra pessoa”, disse ela sem um mínimo de pudor “É melhor cada um de nós seguir a sua vida”. E assim de um momento para outro tudo o que tinha de certo, tornou-se incerto. Como seguiria eu a minha vida sabendo que tudo o que tinha planeado tinha sido ultrajado. E o filho que planeamos ter? E a viagem que queríamos organizar? E as idas ao cinema à sexta-feira à noite? E os jantares inusitados? À base de calmantes e conversas com a psicoterapeuta segui a dita vida. Tu não precisas disso pombo, mas, eu precisei para continuar a dormir à mesma hora e para conseguir acordar todos os dias para ir trabalhar.

Mais tarde a dita crise tocou-me à porta. “Como sabes estamos com algumas dificuldades e temos que reduzir o quadro”, anunciou o meu chefe com o seu estilo snobe e calculista. Percebi que fazia parte da lista negra do desemprego. O meu mundo perfeito, alinhadinho, rotineiro e perfeccionista voltou a desabar, mais caixas de antidepressivos para cima da minha mesa de cabeceira, mais sessões de ajuda com a psicoterapeuta...

Em tempos, quando tudo estava no sítio certo eu era o primeiro a lamentar-me, ou porque estava a chover, ou porque o comer estava frio, ou porque as notícias que anunciavam na tv eram sempre as mesmas, agora que tudo é incerto, deixei de me lamentar, vivo um dia de cada vez, à espera de uma resposta. E gosto de vir aqui, observar o rio e imaginar a minha vida caso tivesse nascido pombo. “Experimenta”, as divagações foram quebradas por uma jovem mulher, com um aspecto mais desmazelado que o meu e a precisar nitidamente de banho.  Ela ofereceu-me metade de um cacete seco e desmiolado para atirar aos pombos. Atirou e eu segui-lhe o exemplo e de repente ficámos cercados por centenas de pombos esfomeados.  Ela riu-se com vontade, tinha um rosto bonito e atraente, e exclamou “Há quem precisa mais que nós”. Eu acenei com a cabeça e pensei que já não me sentia assim há muito tempo. 

Treinando a escrita [12]

Pág. 1/4