Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Qua | 29.04.15

Uma ideia para diminuir os níveis de stress...

E quem é que já não deu por si a desejar ser criança outra vez?

Eu sei que na maior parte dos casos é apenas um desabafo momentâneo, mas acho que encontraram uma solução: Arte-Terapia - livros para colorir, para os adultos, uma moda para aliviar o stress do dia a dia. Têm imensos padrões, muitos pormenores, folhas, flores e figuras geométricas para pintar de forma a proporcionar excelentes momentos de tranquilidade e prazer! Dizem que são livros relaxantes, inspiradores e que ajudam no desenvolvimento da criatividade! 

Peguem nos lápis de cor, não há como experimentar!

livro para colorir.jpg

Vejam mais aqui!

Nota: Confesso que há dias experimentei a pintar nos cadernos de colorir do meu sobrinho, e foi bom reviver momentos, sobretudo pela excelente companhia (o proprietário dos cadernos) e pela partilha de saberes!

Seg | 27.04.15

O Protector de Madeline Hunter

O Protector.jpg

Tenho a certeza de que se lesse todos os outros livros como li este, tão rápido, conseguiria os tais 50 livros por ano que muito gente por aí consegue! O Protector, de Madeline Hunter, é um romance histórico, da época feudal, simples, sem descrições exaustivas, com um toque de erotismo e muita sensualidade, focado sobretudo na vida dos personagens principais, Morfan, um cavaleiro inglês, à procura de terras, e Anna de Leon, uma mulher guerreira, que defende as suas terras. É difícil não ficar apaixonado por estas duas personagens e pela paixão avassaladora que os transforma. Anne de Leon é uma personagem muito cativante, que monta a cavalo e que luta nas batalhas, uma mulher invulgar para a época que prefere voltar ao convento, a casar e ser submissa a um homem. Morfan, depois de ser salvo por esta mulher, promete a si mesmo protege-la. A história é muito envolvente, ficamos presos aos acontecimentos, às peripécias, e só queremos mesmo é chegar ao fim!

 

a Sinopse:

"Numa terra sem lei, devastada pela guerra e pelas pragas, Morvan Fitzwaryn, um cavaleiro errante, faz jus à sua honra e protege os mais fracos.
Habituado a ser o melhor, o mais forte, o mais temido, não esperava vir a conhecer um guerreiro cujas qualidades de combate rivalizassem com as suas. Quando se encontram pela primeira vez, é Morvan quem precisa desesperadamente de ajuda. De espada na mão e porte altivo, o guerreiro a quem ficará a dever a vida é, surpresa das surpresas, uma mulher!
Em pouco tempo, a imbatível Anna de Leon torna-se no único prémio digno de ser conquistado... e o único que Morvan não consegue arrebatar."

 

factos a retirar do livro

 

a beleza exterior é apenas um complemento da beleza interior, da força, da coragem, da persistência, da solidariedade e do respeito.

 

a guerra, a conquista, as terras, o sofrimento, tão presente ontem e hoje na civilização humana [típico de nós, gente].

 

a força da mulher, a sua determinação, uma luz de emancipação num mundo só de homens, num mundo demasiado injusto. 

 

o amor existe tal como nos contos de fada e sim, é possível que tudo corra bem. 

 

 

Sex | 24.04.15

a Incerteza da Vida

"Ninguém avança pela vida em linha recta. Muitas vezes, não paramos nas estações indicadas no horário. Por vezes, saímos dos trilhos. Por vezes, perdemo-nos, ou levantamos voo e desaparecemos como pó. As viagens mais incríveis fazem-se às vezes sem se sair do mesmo lugar. No espaço de alguns minutos, certos indivíduos vivem aquilo que um mortal comum levaria toda a sua vida a viver. Alguns gastam um sem número de vidas no decurso da sua estadia cá em baixo. Alguns crescem como cogumelos, enquanto outros ficam inelutavelmente para trás, atolados no caminho. Aquilo que, momento a momento, se passa na vida de um homem é para sempre insondável. É absolutamente impossível que alguém conte a história toda, por muito limitado que seja o fragmento da nossa vida que decidamos tratar. "

Henry Miller, in "O Mundo do Sexo"

 

É mesmo certo que nada é certo e que a nossa vida é uma constante incerteza. Podemos até pensar que algo nos está garantido, mas não está, a única garantia na vida é mesmo a morte. Portanto, há que viver o momento como se fosse único, e se por qualquer razão não pararmos na estação pretendida, depois de derramarmos as lágrimas suficientes, devemos voltar a construir a nossa história, porque a vida é demasiado curta, e incerta, para ser questionada. Vivam!

Pág. 1/3