Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

Qui | 29.11.18

A Princesa da Casa e os seus dois Castelos

Por ironia do destino, ou não... há muito que a princesa da casa deixou de ter apenas uma casa, eu diria que passou a viver em dois castelos, um onde mora com o pai e outro onde mora com a mãe. 

Quando criei o nome do blog estava longe de imaginar tal situação. Para mim a B. seria sempre a princesa de um único castelo, só que não... A vida dá muitas voltas e não existem certezas absolutas. 

***  E por falar em certezas, será que viver em dois castelos é a melhor opção? Será que a guarda partilhada é a opção perfeita para a criança? ***

Nenhuma opção parece boa na hora da separação. Mas, há que encontrar a solução menos má, e existem cada vez mais especialistas a acreditar que a residência alternada é a melhor, pois garante que a criança continue a ter contacto permanente com ambos os pais - garante a educação, o amor, a partilha das rotinas, o cuidado dos dois progenitores - e contribui certamente para o desenvolvimento estável da criança. Uma casa é só uma casa, é só um espaço, não substitui a importância, o papel fundamental e a presença do pai e da mãe na vida de uma criança. 

Na vida não existem soluções perfeitas, embora muitas vezes eu própria me canse a tentar encontrar uma. A verdade é que nada é perfeito, e nada dura para sempre, portanto temos que aprender com os erros e tentar conciliar tudo da melhor maneira possível. 

Uma coisa é certa, existem palavras de ordem que devem ser mantidas, seja qual for a circunstância, "amor", "tranquilidade", "compreensão", "educação" e "coordenação" - a criança é a chave destas novas relações, e deve estar sempre em primeiro lugar. 

 

*** Qual a vossa opinião? Alguém a passar pelo mesmo? Partilhem as vossas experiências! ***

 

Screenshot_20181129-005507_1.jpg

 

   

 

 

Qua | 14.11.18

Precisamos de mais solidariedade!

Não acham que existe uma falta de solidariedade tremenda nos dias de hoje? Existe falta de solidariedade e de altruísmo na sociedade. Às vezes parece que só praticamos o bem a troco de algo. Parece que andamos cada um de nós a puxar a corda para diferentes lados,  em vez de puxarmos a corda para um lado único e comum, para o bem de todos.

 

Não seria mais fácil, assim? É que um dia a corda estica tanto que parte! 

 

Esta falta de solidariedade reflecte-se em tudo na vida, nas relações pessoais e nas relações profissionais, a nível local e a nível mundial...

A Era do Cada Um Por Si!

Não me compete a mim fazer, então não o vou fazer [e se TU não consegues, não podes ou não tens tempo, paciência!]. 

 

Já que nos estamos a aproximar do Natal a passos largos, não sejamos cínicos: Esqueçam os presentes só para parecer bem. Esqueçam a solidariedade por um dia, contribuindo com uma lata de atum para o Banco Alimentar. Esqueçam o donativo só porque é Natal e tenho que ser solidário. 

Não, não esqueçam! Tudo bem que o façam! Tudo bem que o devam fazer! Mas a solidariedade deve ser isso e mais, e manter-se durante o ano: se o teu vizinho ou o teu colega de trabalho precisa, hoje, de ajuda, então porquê esperar pelo Natal? Façam-no hoje!

 

Pratiquem a solidariedade! Pratiquem o amor! 

 

 

Ter | 06.11.18

Bolsonaro, o Presidente Pacificador?

Confesso que ando sempre a leste das notícias, e que pouco ou nada acompanhei as eleições no Brasil. Mas, fico chocada e apreensiva quando nos dias de hoje é eleito para Presidente alguém com opiniões tão controversas e ideias tão preconceituosas, em pleno século XXI.
Será possível?
O mundo anda mesmo do avesso, não existe um meio termo.

Screenshot_20181105-105404_1.jpg

Bolsonaro garantiu que quer "governar para todos" e ser um "pacificador", alguém acredita mesmo na parte do "pacificador"?