Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Princesa da Casa

Eu sou a mãe, ela é a filha - a princesa. Embora às vezes os papéis se invertam!

11.05.17

Mulher e Mãe

Maria João Costa
Desde que me conheço como gente que para mim a escrita é uma paixão e um sentido na vida. Faço-o nos poucos tempos livres que me sobram entre ser mãe, mulher, dona de casa, profissional e amiga, mas se pudesse faria dela a minha profissão.  No passado dia da mãe fui ao lançamento da colectânea"Poema Mulher", das Edições Vieira da Silva, no Inspira Santa Marta Hotel (que aliás, é lindo). Sinto este livro como um pequeno sonho tornado real, uma vez que é um bocadinho meu, (...)
08.02.17

Preciso de abrandar o meu relógio.

Maria João Costa
Sentes tudo tão intensamente que chegas a desejar não sentir quando o corpo te pede descanso? É importante ter a capacidade de parar, abrandar, quando esse dia chega porque se não o fizermos mais tarde será pior.  O tempo não abranda, as tarefas, as rotinas do dia a dia, os outros chamam por nós, precisam de nós e nós deles. Mas, para que a vida possa continuar a esse ritmo é preciso abrandarmos o nosso ritmo, o nosso relógio interior e encontrarmos um tempo para nós.  Aperc (...)
03.03.16

Foge do que te faz sofrer..

Maria João Costa
Podes fugir, deves fugir para bem longe dessa dor, soltar as amarras. Não podes, nem deves ficar agarrada a esse erro para sempre!Podes fazer de ti um exemplo, e salvar-te e salvar aqueles que amas. Não deves ter medo de mudar quando tudo deixa de fazer sentido.Deves fazer algo por ti, e não o deixes para amanhã, porque tu mereces ser feliz, hoje!   Texto | Maria João Costa - segue-me também no Facebook
15.07.15

Quem não te ama foge!

Maria João Costa
  Acreditei.Acreditei nas tuas palavras floreadas, nos teus atos grandiosos, nas tuas atitudes carinhosas, nas tuas promessas para a vida. Fiquei horas a imaginar-nos, a fazer planos para o futuro, a sonhar acordada, deitada sobre a cama, a ver estrelas debruçada sobre a janela à noitinha, acreditei que eras tu o meu príncipe encantado e que finalmente te tinha (...)